© 2015 by Sem Cortes Filmes - Todos os Direitos Reservados - © 2015 Design by Cassio Conde - Todos os Direitos Reservados

 

Criada em São Paulo no ano de 2013, a Sem Cortes Filmes surge de anseios, sonhos e realidades. Os primeiros trabalhos registram o cotidiano da metrópole e levantam questões socias relevantes da nossa realidade. Com videoclipes e curta metragens a Sem Cortes Filmes experimenta diferentes linguagens. Nosso trabalho com institucionais e propagandas cresce cada vez mais em um mundo onde as linguagens e necessidades se convergem. Fotografias de natureza e viagens por diferentes países resultaram em grandes trabalhos com agências de trekking, turismo selvagem e escalada. Documentários como "O Complexo de Vira-Latas", "Resisto", "Morada" e "Fotografar" são, não apenas nossos maiores trabalhos, mas também a concretização de processos de busca pelas transformação através do audiovisual. 

 
 
 

 

Leandro Caproni, 24. Criador da Sem Cortes Filmes.


Meu interesse por audiovisual começou na adolescência. Muito ligado a filmes e freqüentemente gravando fitas (ainda vhs), percebi então que o mundo da imagem me atraia muito. Morador da região periférica de São Paulo, sofri forte influencia da cultura urbana e percebi que poderia me expressar através do vídeo ao ter meu primeiro contato com uma câmera digital e um programa de edição simples. Foi no ano de 2010 que me interessei e consegui uma bolsa através do PROUNI para estudar comunicação social. Ao decorrer da universidade percebi que a minha maior ligação com o curso era a realização das obras audiovisuais. Cada vez mais, comecei a produzir vídeos caseiros e edita-los em casa para divulga-los na internet. Para desenvolver melhor o trabalho com áudio e vídeo e aprender mais sobre linguagens e técnicas, me envolvi com oficinas culturais voltadas ao audiovisual. Era 2012 e eu estava no terceiro ano da faculdade. Meus gostos, estudos e trabalhos naturalmente se voltaram para temas sociais. Foi na TV São Judas, meu primeiro emprego na área, que tive as primeiras noções do mercado de trabalho, prazos, pressão e competição entre profissionais. Aprendi muito e tive espaço para interferir e criar. Experimentei diversas áreas da tv, pude fazer roteiro, edição, produção e até mesmo apresentar programas. Aproveitei o ultimo ano de faculdade, estudei e produzi audiovisual de forma independente, experimental e me aproximei o máximo que pude do cinema. Formei junto com grandes amigos universitários um grupo de debate e informações contra-hegemônicas, o Candeia, e hoje damos aulas de audiovisual para jovens periféricos.

 Nosso trabalho de conclusão de curso foi um documentário que discutiu um assunto muito importante na formação do povo brasileiro, "O Complexo de Vira-Latas". No youtube o documentário atingiu 96.000 acessos e foi também veiculado na TV Brasil. Ainda com a repercussão do documentário e outros projetos, pude dar inicio a Sem Cortes Filmes que teve, no ano de 2013, o doc "O Complexo de Vira-Latas" e as ficções "Você e o Mundo" e "Desamor" como principais obras. No ano de 2014, produzimos os documentários "Morada", sobre a vida de moradores de cortiço; o documentário "Fotografar", abordando os caminhos da fotografia em novas plataformas; e o documentário "Resisto", que conta a influência dos black Panthers no movimento negro brasileiro. O ano de 2015 começou com uma viagem de 3 meses por Bolívia, Peru, Paraguai e Argentina, onde senti uma aproximação maior do que quero como individuo e como profissional. Viajar, fotografar lugares e pessoas foi ter a percepção de que somos iguais até nas mazelas  e que me cabe, através da Sem Cortes Filmes, comunicar nossa condição e buscar a transformação.